Planejamento e Controle de Produção: conheça a importância do PCP para a sua fábrica

O Planejamento e Controle de Produção, também conhecido como PCP, consiste em organizar, guiar e monitorar toda a operação de uma fábrica, com o propósito de otimizar a cadeia produtiva.

Desse modo, é possível garantir a qualidade dos produtos ou serviços oferecidos, bem como a satisfação dos clientes e a eficiência dos processos produtivos – seja a indústria pequena, média ou grande.

Se você deseja aumentar a produtividade e otimizar a gestão de estoque, significa que chegou a hora de conhecer a importância de uma boa estruturação do PCP e como ela pode impactar na sua indústria.

Afinal, como o PCP funciona?

O processo de PCP tem a missão de permitir que o líder consiga gerir de perto as suas operações industriais para manter a previsão e o controle de todos os recursos utilizados por meio da otimização de processos, o que inclui prazo, tempo de operação, maquinário, habilidade e experiência dos funcionários envolvidos.

Mas para que esse processo funcione, é preciso saber que o planejamento envolve diversas áreas da empresa. Enquanto a área comercial determina o plano de produção com base nas previsões de vendas, tanto a área de compras quanto a gestão de estoque devem garantir que não falte material para a produção.

Isto posto, o PCP tem a função de auxiliar o líder a entender todos os aspectos por trás das demandas da indústria, como:

  • O que produzir;
  • Quanto produzir;
  • Onde produzir;
  • Como produzir;
  • Quando produzir;
  • Com o quê produzir;
  • Para quê produzir.

Dessa forma, percebe-se que o PCP é semelhante a um roteiro adaptado às operações de uma fábrica, pois ao ter conhecimento sobre esses detalhes, o líder consegue ter um panorama do fluxo ideal de cada demanda, bem como os eventuais problemas e gargalos que podem surgir – e o que fazer para resolvê-los, caso aconteçam.

Quais os benefícios que um PCP bem estruturado oferece às indústrias?

Como você pôde perceber, o PCP é fundamental para garantir o fluxo adequado dos processos produtivos em uma empresa, pois ajuda a construir uma cadeia industrial eficiente.

Não é à toa que o PCP tem influência direta tanto nos aspectos internos quanto nos externos de um ciclo produtivo, como o setor de compras e o departamento logístico.

Logo, ao estruturar ou reestruturar o Planejamento e Controle e Produção, as indústrias contam com inúmeros benefícios. Confira:

  • Diminuição dos custos com o estoque: ao realizar o controle correto do estoque, é possível evitar o acúmulo de produtos e insumos desnecessários, principalmente quando o processo é alinhado a estratégias como o just in time;
  • Fluxo contínuo de produção: a otimização da capacidade de fabricação tem como propósito diminuir a ocorrência de gargalos enquanto aumenta a eficiência dos processos e, por consequência, a lucratividade;
  • Compras assertivas de insumos: ao ter maior conhecimento sobre as demandas, o processo produtivo se torna mais transparente, facilitando a aquisição de apenas as matérias-primas necessárias para as demandas existentes, evitando desperdícios e/ou descapitalização do fluxo de caixa sem necessidade;
  • Maior controle da qualidade: ao controlar e padronizar as etapas de um processo produtivo, se obtém um maior controle sobre a qualidade do produto que será entregue ao cliente;
  • Entregas dentro do prazo: o PCP ajuda a garantir a otimização da produção e a assertividade dos processos, tornando as entregas mais rápidas, controladas e eficientes;
  • Aumento da satisfação dos clientes: a evolução da produtividade com o objetivo de realizar tanto a produção quanto a entrega dentro do prazo e com a qualidade esperada aumenta as chances de garantir a satisfação e fidelização dos clientes.
  • Possibilidade de atender mais ou novos clientes: Com processos controlados e mais ágeis aliados com prazos de entrega em dia, a produção se torna organizada suficientemente para atender mais clientes.

Conheça as etapas do PCP

Após conhecer o conceito, a importância e os benefícios do Planejamento e Controle de Produção, é fundamental entender como o PCP funciona na prática. Vamos lá?

1 – Previsão de demanda

A princípio, é importante criar uma rotina e processos que permitam prever a demanda de produção da empresa. Isso inclui determinar quantos itens devem ser produzidos e para quando eles são necessários.

Essa projeção pode ser feita de várias maneiras, mas o objetivo é ter uma estimativa precisa do número de produtos a serem produzidos. Com essa informação em mãos, é possível entender exatamente a quantidade de insumos que precisam ser comprados, além de quantas horas-homem e horas-máquina são necessárias para atender à demanda.

2 – Planejamento da capacidade de produção

Com os dados de previsão de demanda, é possível avançar para a próxima etapa, que é analisar se a capacidade da fábrica atual será suficiente para atender à demanda futura.

Nesta etapa, é preciso ser realista para que o cronograma da fábrica não seja afetado. Sendo assim, é importante avaliar a necessidade de criar novos turnos de trabalho, terceirizar parte da produção ou até mesmo planejar investimentos em novos equipamentos ou modernização dos existentes, além de contratar e treinar novos funcionários para aumentar a capacidade de produção.

3 – Planejamento Agregado da Produção

O Planejamento Agregado da Produção (PAP) é uma estratégia anual que considera a capacidade produtiva da empresa e o nível de demanda.

Com o PAP, é possível tomar decisões mais estratégicas e holísticas que podem impactar positivamente nos resultados e no alcance das metas. Ele permite que a empresa esteja preparada para atender à demanda de maneira eficiente, e assim, alcance suas metas de produção.

4 – Plano mestre da produção

Já o Plano Mestre de Produção (PMP) é um planejamento que visa garantir a eficiência na utilização dos recursos da empresa.

Ele é importante para evitar que ordens de produção urgentes fiquem paradas na fila ou que gerem gargalo, garantindo que a empresa esteja preparada para atender à demanda de maneira rápida e eficiente.

5 – Programação detalhada de produção

Esta etapa descreve detalhadamente como a produção vai conduzir seus processos. Isso inclui informações sobre a sequência de cada ordem de produção, a gestão de materiais e a emissão de documentos à medida que os processos ou pedidos são concluídos.

Para facilitar o gerenciamento dessas informações, é importante contar com o auxílio da tecnologia, como um sistema de produção que automatize tarefas e permita um controle mais simplificado dos processos produtivos.

6 – Controle da produção

Por último, para monitorar os principais indicadores de produtividade, desempenho e qualidade da produção industrial, é preciso estabelecer uma estratégia ampla e detalhada de controle.

A implementação do PCP com um sistema ERP

Um sistema ERP (Enterprise Resource Planning, ou Planejamento dos Recursos Empresariais, em português) é uma solução de software que integra e automatiza os diversos processos de uma empresa, incluindo o planejamento da produção. O objetivo é facilitar a tomada de decisões e aumentar a eficiência operacional, aproveitando ao máximo os recursos disponíveis.

O sistema ERP pode ajudar na implementação do PCP (Planejamento e Controle da Produção) de diversas maneiras:

  • Armazenamento de dados: o sistema ERP permite armazenar todas as informações relevantes para o planejamento da produção, como demanda de clientes, estoques, matérias-primas e recursos do chão de fábrica, facilitando a análise dos dados e a tomada de decisão;
  • Otimização de processos: o sistema ERP automatiza muitas das tarefas relacionadas ao PCP, como o cálculo de necessidades de matérias-primas e a programação da produção. Isso libera tempo para que os profissionais possam se dedicar a atividades mais estratégicas e menos operacionais;
  • Integração de dados: o sistema ERP integra os dados de diferentes áreas da empresa, permitindo uma visão global da produção. Isso ajuda a identificar gargalos e problemas e a tomar medidas corretivas;
  • Gestão de estoques: o sistema ERP permite gerenciar os estoques de matérias-primas e produtos acabados de maneira eficiente, evitando faltas ou excessos. Isso também ajuda a reduzir os custos de armazenamento;
  • Rastreabilidade: com a utilização de um software, é possível rastrear os produtos ao longo do processo de produção, o que facilita a identificação de eventuais problemas e a tomada de medidas corretivas.

Dessa forma, para implementar um ERP industrial completo e que vai acompanhar o crescimento da sua empresa da maneira adequada, basta entrar em contato com nossa equipe de especialistas que está pronta para te ajudar!